quinta-feira, 15 de maio de 2014

O PODER DO RASCUNHO

Quando comecei a desenhar, achava que era só colocar o lápis no papel e já ir desenhando o traço definitivo. Depois de sofrer muito com meus desenhos horrorosos e tortos, percebi que eu deveria planejá-los antes. Claro que foi um processo longo. Primeiramente não tinha muita paciência suficiente para elaborar um desenho, mas mesmo assim queria que saísse algo decente. Ao longo de muitas aulas que dei, enfrentei muitos questionamentos dos meus alunos referente a esse processo. Um destes questionamentos era por que eu não desenhava "direto". Ora, só se eu fosse um Deus ou um ninja disfarçado de desenhista.

A ansiedade e o imediatismo de todos, leva-os a pensar que é só colocar a ponta da lapiseira no papel em branco e zapt, ali está o trabalho. Lamento informar, mas não é bem assim.

Primeiramente temos que rascunhar. Riscar, apagar, riscar e apagar e assim por diante. Em algum momento deste processo irá acontecer a mágica. Ou pelo menos uma parte dela.

Muitos alunos me falavam da proeza de certos colegas de aula que conseguiam fazer um desenho completo sem em algum momento usar a borracha. Eu achava graça e dizia: ele é uma fraude. Todo desenhista que se preze usa a borracha. Ela é uma grande amiga.

Portanto, caros mancebos, deixem pra lá esta coisa que serei desenhista profissional e jamais precisarei fazer um rascunho. "EKSO NO EKSISTE".

Risque, rabisque, apague, concerte e assim por diante.

Em algum momento você vai acertar. Pode ter certeza.

Abração!


3 comentários:

Laryssa Linhares disse...

Ainda bem que você voltou. Já tava desesperada kkk suas apostilas são boas.

Laryssa Linhares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CD10 disse...

Você tem toda razão o rascunho é muito importante, até mesmo para quem usa marcações. Um rascunho bem elaborado pode dar qualquer desenho, até realista, posteriormente. Parabéns pelo artigo e pelo site!